quarta-feira, 24 de março de 2010

Caranguejo é símbolo maior da culinária de Aracaju

Por Agatha Cristie (estagiária)

Ele mora na lama e anda de lado. Lendo assim parece se tratar de uma coisa ruim, mas estamos falando de um dos pratos mais deliciosos da culinária aracajuana: o caranguejo. Eleito por duas vezes pela revista Veja como o melhor prato da cidade, o crustáceo é a opção perfeita para saborear o melhor da culinária de Aracaju.

Caranguejo é apreciado por aracajuanos e turistas (Fotos: Lízia Martins)

"Nós aracajuanos precisávamos de uma comida que nos identificasse. A Bahia, por exemplo, tem o acarajé, nós temos o caranguejo. Há 10 anos tenho esse bar e percebo que Aracaju talvez seja hoje a única cidade do país que tem a cultura de comer caranguejo", declara José Hamilton Santana, dono de um bar e restaurante localizado na Passarela do Caranguejo, na Orla de Atalaia.

Amilton Santana

O crustáceo também desperta a curiosidade de turistas que visitam a capital da qualidade de vida. "Atendemos todos os clientes com muito carinho, mas damos uma atenção especial aos turistas, porque geralmente eles pedem caranguejo e nem sabem como comer. Então, damos toda assistência que eles precisam, ensinamos como quebrar o caranguejo e ainda garantimos uma mesa sempre limpa e uma cerveja bem gelada", explica o garçom Ricardo Machado.

Ricardo Machado

Quem nasce em Aracaju não dispensa uma boa caranguejada, seja após o expediente e nos finais de semana nos bares da Passarela do Caranguejo ou até mesmo em casa com os amigos e familiares. Até quem mora longe nunca perde o hábito de bater o martelinho nas suculentas patolas quando regressa à terra natal.

Esse é o caso da biomédica Jussimara Monteiro, 32, que há sete anos mora em São Paulo, mas sempre que volta à cidade faz questão de sentir a brisa do mar nos bares da orla para se deliciar com a carne macia e saborosa do caranguejo. "Como com tanta habilidade que nem me sujo. Se vier a Aracaju e não comer caranguejo, é como se não tivesse vindo", revela.

Curiosidades

O primeiro passo da receita é matar o crustáceo. Diferente de como fazem muitas pessoas em casa, nos bares da orla o caranguejo é morto no gelo e não na água quente, técnica usada para que as patas não soltem durante o cozimento. Em seguida é feita a limpeza com uma escova e muita água. Depois vem o molho para o cozimento, preparado com coentro, limão, cebola, tomate, pimentão, sal, e um segredinho todo especial para garantir uma cor bem vermelha no caranguejo, que é molho de tomate caseiro.

Limpeza das patas e tempero na panela são etapas fundametais para
quem quer degustar o caranguejo

Depois de alguns minutos no fogo, o delicioso prato está pronto. A delícia fica completa quando é servida junto com um caldo de pirão. Em Aracaju, é típico servi-lo sempre para petiscar com uma porção de vinagrete, com o suporte de uma tabula de mármore ou madeira e o famoso martelinho.

Jussimara Monteiro, acompanhada do marido Eduardo (Foto: Divulgação)


Nenhum comentário:

Postar um comentário