sexta-feira, 22 de julho de 2011

Projeto do Aterro Sanitário Metropolitano

O prefeito Edvaldo Nogueira se reuniu com a imprensa, líderes políticos e comunitários, e representantes do poder municipal para apresentar o projeto do Aterro Sanitário da Região Metropolitana de Aracaju. O projeto prevê a implantação de um aterro para destinação o lixo da capital e da grande Aracaju. Na ocasião, Edvaldo apresentou um vídeo sobre o Aterro Sanitário Metropolitano: http://vai.la/2ah9.

 
Apresentado pela primeira vez há dois anos, em audiência pública na cidade de Nossa Senhora do Socorro, o estudo traz medidas técnicas e ambientalmente responsáveis para a destinação dos resíduos sólidos de Aracaju, em parceria com as cidades de Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. O Consórcio Metropolitano para Gestão dos Resíduos Sólidos da Região Metropolitana da Grande Aracaju (Comgres), estabelecido pelos prefeitos das três cidades em 2009, deu andamento aos estudos para o projeto desde sua criação.

"É um projeto que consideramos o ideal, porque é em uma área que fica próximo a todas as cidades envolvidas, foi aprovado pela Câmara com a criação do Consórcio, e tem a participação do Ministério Público Federal. A Justiça Federal está aguardando apenas um posicionamento da Adema. Respondemos todas as solicitações da Adema, todos os detalhes técnicos, e está com eles para ser apreciado. São opiniões divergentes, mas para nós, Aracaju, São Cristóvão e Socorro, é o melhor local", afirma Edvaldo Nogueira, ressaltando que projeto já está pronto, aguardando apenas a liberação da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) para o processo de licitação e construção.

 Foto: Sílvio Rocha

O Estudo de Impacto Ambiental foi feito em 20 locais entre Aracaju e grande Aracaju, mas nenhum deles se enquadrou nas determinações ambientais. O local mais adequado encontrado pela empresa de consultoria em meio ambiente Terra Viva, contratada pela Prefeitura de Aracaju para realizar o estudo, foi no município de Nossa Senhora do Socorro, no local conhecido como Lixeira da Palestina. Para o prefeito Edvaldo Nogueira, a prioridade é acabar com o atual aterro de Aracaju.

Entre os aspectos analisados estão a distância dos lençóis freáticos, distância mínima de 500 metros de núcleos populacionais, direção dos ventos e distância de aeroportos. De acordo com o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), o raio da Área de Segurança Aeroportuária (ASA) precisa ser de 20 km para aeroportos que operam com as regras de vôo por instrumento. O local encontrado para o aterro fica a 13,4 km do Aeroporto Santa Maria, mas com a ampliação e reforma prevista após o fechamento do aterro do Santa Maria, poderão ser utilizados equipamentos modernos de radiofreqüência, permitindo a redução do raio de segurança.

A obra está orçada em R$ 18,6 milhões, valor que será rateado entre os três municípios envolvidos, de forma proporcional à produção de lixo de cada cidade.

Podcast com o prefeito Edvaldo Nogueira sobre o assunto: http://vai.la/2aaf.

Com informações de www.aracaju.se.gov.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário