quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Incentivo às práticas complementares de saúde

Como parte da pesquisa intitulada 1º Censo de Práticas Integrativas e Complementares e Educação Popular em Saúde, técnicos do Núcleo de Apoio à Gestão Estratégica Participativa (Nagepi) da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) têm visitado as Unidades de Saúde da Família da capital, bem como plantações de ervas medicinais e grupos de terapia comunitária. As visitas servem para coletar informações da comunidade.
Dentre as unidades visitadas está a Irmã Caridade,
no povoado Aloque (Foto: Ascom/SMS)
Segundo o coordenador do Nagepi, Murilo de Brito, o objetivo é elaborar um banco de dados contendo informações relativas a diversas Unidades de Saúde da capital. Com esse material, o Núcleo pretende elaborar um projeto para fazer parte da política pública municipal da Saúde.

"Estamos coletando informações em todas as USFs, para identificarmos e reconhecermos as Práticas Integrativas e Complementares (PICS) e ações de Educação Popular em Saúde (EP&S) que são desenvolvidas nas unidades de Aracaju. Estamos montando um banco de dados dessas experiências", explica o coordenador.

Durante as visitas, os técnicos aplicam o questionário da pesquisa e os dados são enviados para o sistema de informação do Ministério da Saúde. Nas unidades, os técnicos conversam com gerente e funcionários mais antigos. Dentre as perguntas, o interesse em saber se há profissionais com formação em terapia comunitária, massoterapia, fitoterapia ou acupuntura auricular com sementes ou agulhas. Eles também procuram saber se a comunidade local tem tradição quanto ao uso de plantas e ervas medicinais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário