terça-feira, 12 de abril de 2011

Uso da cadeirinha veicular ajuda a salvar vidas

A Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para Segurança Viária, constituindo metas para estabilizar e reduzir o número de vítimas de acidentes de trânsito. Nesse período será dada uma maior atenção às atividades nas áreas de gerenciamento de segurança de trânsito, infraestrutura viária, segurança veicular, comportamento do usuário das vias e cuidados pós-acidente.

Dentro das diretrizes traçadas pela ONU, está o incentivo ao uso dos equipamentos de segurança, tais como o cinto de segurança, capacetes e aparelhos de retenção infantil. Apesar do Código de Trânsito já trazer a necessidade de cuidados especiais com o transporte de crianças, a lei foi regulamentada em 2008 com a determinação prevista na Resolução 277 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), válida em território nacional e colocada em vigor no dia primeiro de setembro de 2010.

"Acho que não precisa ser especialista em trânsito para perceber que apesar de não evitar que o acidente aconteça, esse tipo de dispositivo de segurança é passivo, ou seja, ele trabalha na redução das lesões provocadas no acidente e, portanto, na diminuição de óbitos provocados nesses acidentes", declara Major Paiva, diretor de Trânsito da SMTT.

Foto: Cleverton Ribeiro

De acordo com ele, é notório o cumprimento da lei na capital. "A gente não pode deixar de perceber que demos um salto muito grande. A cadeirinha em Aracaju era mito, ninguém usava, mas hoje muita gente usa e os nossos números de fiscalização mostram isso", confirma. Em três meses de fiscalização, iniciada em janeiro de 2011, foram feitas somente 63 autuações pelo não uso do mecanismo.

A cadeirinha passou a compor o leque de infrações no trânsito e a fiscalização está sendo feita de forma difusa na cidade. "Além de observar se a criança está sendo transportada de forma adequada, os agentes de trânsito também estão fiscalizando a presença de menores de 10 anos no banco dianteiro", conta Major Paiva. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a utilização correta da cadeirinha pode reduzir em até 70% a possibilidade de morte em caso de acidentes.

A campanha educativa é essencial para a conscientização dos pais e motorista na adesão do equipamento.

Punição

De acordo com o artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro, a penalidade pelo desrespeito à norma inclui multa de R$ 191,54 e sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. A infração é considerada gravíssima e o condutor pode ter o veículo retido até que a irregularidade seja sanada.

Equipamentos

É importante que os pais fiquem alerta quanto aos equipamentos no mercado, pois muitos não são aprovados pelo Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Os pais devem sempre procurar o selo quando forem adquirir o equipamento, pois aquele que não for seguro, pode trazer ainda mais danos à criança no caso de acidentes.

Foto: Cleverton Ribeiro


Nenhum comentário:

Postar um comentário