sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Coleta seletiva: um dos pilares da sustentabilidade

Reciclar significa transformar objetos e materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade só foi despertada pelos seres humanos a partir do momento em que se verificaram os benefícios que este procedimento proporciona nas ações de sustentabilidade. Além de ser ambientalmente correta, a reciclagem apresenta-se como uma solução viável economicamente.

Foto: Lízia Martins
É nesse contexto que a coleta seletiva surge, com o processo que consiste na separação e recolhimento dos resíduos descartados por empresas ou pessoas e que se transformarão novamente em matéria-prima. Na capital sergipana, a coleta seletiva foi iniciada em 2001 e desde então a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), realiza um trabalho entre o poder público e o cidadão na operacionalização desta prática consciente.

A inserção dos bairros no programa não é feita por acaso. Após um estudo técnico da área, os moradores são visitados por agentes ambientais e recebem orientação de como realizar a separação dos materiais e da importância deste procedimento para o meio ambiente. "Este é literalmente um trabalho em conjunto. Fazemos o recolhimento de porta em porta, mas é o morador que, de maneira consciente, não descarta os materiais de forma irregular e ainda cuida para que tudo seja entregue adequadamente, sem misturar com o lixo orgânico e dispondo no dia correto da coleta. Por isso promovemos efetivamente a orientação ambiental para esses cidadãos", ressalta Fábio Silva, presidente da Emsurb.

Compostas por agentes e educadores ambientais, dezenas de equipes percorrem as ruas do bairro que será inserido no programa visando conscientizar os moradores sobre os benefícios da coleta seletiva, o descarte correto de entulho, principalmente oriundo da construção civil, e a necessidade de cooperação de todos para que o trabalho alcance êxito no aproveitamento do que é recolhido. Através de um questionário, eles fazem um diagnóstico da situação local e promovem a entrega de panfletos informativos e cartilhas que instruem sobre o descarte correto do material (orgânico e reciclável).

Já participam do itinerário de coleta seletiva: conjunto Bela Vista; bairro Cirurgia; conjuntos Beira Mar I e II; conjunto Médici; Jardim Baiano; bairro Getúlio Vargas; bairro 13 de Julho; conjunto Inácio Barbosa; bairro São José, bairro Jardim Esperança; loteamento Parque dos Coqueiros, Beira Rio; bairro Aeroporto; Aruana; conjunto J. K.; Sol Nascente; Santa Lúcia; bairro Jardins; bairro Grageru; bairro Siqueira Campos, além de órgãos públicos, casas de material de construção, hotéis, escolas e postos de saúde do bairro Santa Maria.

Foto: Ascom Emsurb
Cidadão Consciente, Cidade Limpa

A constante rotatividade dos moradores nas casas gerou a necessidade de revitalizar a divulgação do procedimento de coleta seletiva. Foi assim que o projeto ‘Cidadão Consciente, Cidade Limpa' entrou nesta empreitada. Com a implantação em fevereiro deste ano do projeto cujo objetivo é orientar e conscientizar o cidadão sobre a coleta seletiva, a quantidade de material recolhido cresceu 70%, chegando às 240 toneladas por mês. A meta é alcançar a média de 350 toneladas/mês até o final do ano.

"‘O Cidadão Consciente, Cidade Limpa' tem uma grande importância nos dias de hoje, pois realiza um trabalho de conscientização da população através do contato de jovens aprendizes que são contratados anualmente pela empresa Torre para realizar visitas às residências e orientar sobre a coleta seletiva. Isso facilita a separação do lixo seco e úmido beneficiando o meio ambiente e quem tira o próprio sustento da reciclagem, como no caso dos cooperados da Care", explica a assessora técnica da Emsurb, Juçara Benetti.

Os bairros São Conrado, Inácio Barbosa, Siqueira Campos, Getúlio Vargas, Cirurgia e São José já foram atendidos. Os próximos serão o bairro Treze de Julho e o Centro, que passará a fazer parte do itinerário da coleta seletiva.

Ao acessar o site da Emsurb, o cidadão pode conferir em qual dia da semana o caminhão seletor passa pelo bairro em que reside, para que seja feito o recolhimento dos resíduos recicláveis que as pessoas deixam nas calçadas das residências. Vale ressaltar que este serviço não é só oferecido para os bairros, mas também para condomínios, órgãos públicos e empreendimentos comerciais.

Foto: Ascom Emsurb
Visita 

Para que os agentes ambientes tivessem não só o conhecimento teórico do projeto, mas também o prático, tomando noção do processo do lixo urbano, os mesmos tiveram a oportunidade de conhecer na última quarta-feira, 1º, o Aterro Controlado, o projeto de compostagem do lixo e a Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju (Care), todos localizados no bairro Santa Maria. As visitas aconteceram nos turnos da manhã e da tarde com os 44 componentes do grupo.

"Esta visita proporciona aos agentes uma maior visibilidade do projeto, onde eles podem conhecer o destino do lixo urbano e o projeto de compostagem, e isso ajuda muito no momento em que eles estarão ensinando a população como separar o lixo e na conscientização sobre a importância da coleta seletiva", afirma a educadora ambiental Daniela Soares.

Surpresa e satisfeita com o que visualizou, a agente ambiental Prisciliana Batista destaca a ação de forma bastante positiva. "Conhecer principalmente o Aterro Controlado superou as minhas expectativas, imaginava ser um local bem desorganizado e com muito mau cheiro, e pelo contrário, vimos um aterro que desenvolve um trabalho consciente e democrático sobre as questões ambientais. E sobre o nosso projeto, o que pedimos na verdade é o respeito e a colaboração dos moradores, já que este é um trabalho de parceria entre nós e a população em prol de uma causa maior", salientou a jovem.

Para a cooperada da Care Socorro Soares, que foi quem apresentou a sede para os agentes ambientais, a ação traz benefícios para todos. "Falo da Care com um respeito muito grande, foi a partir do trabalho que realizo aqui há mais de seis anos que consegui realizar muitos sonhos. Estes jovens estão realizando um trabalho de formiguinhas em um processo lento, mas que no futuro trará resultados grandiosos. As pessoas precisam saber que não existe lixo não aproveitável, tudo se transforma e a Care é a prova disto. A população tendo mais consciência na separação do lixo a partir da coleta seletiva ajudará, e muito, o nosso trabalho", ressalta.

CARE

A Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju (Care) foi instituída no âmbito do Projeto Lixo e Cidadania em Sergipe, coordenado pelo Ministério Público de Sergipe, em parceria com o Unicef, Universidade Federal de Sergipe, Prefeitura de Aracaju e algumas empresas. A implantação da cooperativa teve como objetivo principal a inclusão social dos catadores de lixo mediante a construção de uma unidade produtiva para o beneficiamento e comercialização de material reciclável, em condições mais dignas de trabalho e como forma de proporcionar melhoria no nível de renda das famílias que desenvolviam atividades de catação no antigo lixão da Terra Dura, hoje Aterro Controlado, localizado no Bairro Santa Maria.

Com o intuito de incorporar novos membros, capacitá-los e dotá-los de equipamentos necessários ao desenvolvimento da cooperativa, foi aprovado em junho de 2005, pela Fundação Banco do Brasil, um projeto de implantação de unidade para reciclagem de plástico, além da aquisição de um caminhão para a realização de coleta nas empresas, escolas e condomínios, bem como de máquina fragmentadora de papéis, que possibilitou a ampliação das atividades.

Atualmente, a Care conta com 84 cooperados, que separam e selecionam o material reciclável proveniente dos bairros, condomínios, órgão e empresas inseridos no sistema de coleta seletiva implantado pela Prefeitura Municipal de Aracaju através da Emsurb e de doadores que mantém relação direta com a cooperativa. O resultado da venda deste material é distribuído entre os associados de acordo com a produção de cada um. Rendimento superior ao que conseguiam com a venda para intermediários e agora em condições adequadas de trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário