sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Cuidados especiais garantem aproveitamento de material reciclável



(Fotos: Ascom/Emsurb)

Reciclar é preciso. Os benefícios da reciclagem já foram amplamente discutidos e o processo até já faz parte do dia-a-dia de diversas empresas e residências. Entretanto, para que este novo hábito mundial não seja desperdiçado, é necessário ter alguns cuidados desde a separação do que é lixo seco (reciclável) e do que é lixo úmido (orgânico). A Cooperativa dos Agentes Autônomos de Reciclagem de Aracaju (Care) é o destino dos resíduos inorgânicos coletados em Aracaju e recebe diariamente mais que papel, metal, vidro e plástico.
 
A presidente da Care, Vaneide Ribeiro Santos, explica que a população ainda descarta alguns materiais de forma inadequada, que não possuem condições de aproveitamento. A caixa de leite Longa Vida que não é lavada internamente é um exemplo. A rigor, todas as embalagens de alimentos úmidos devem ser lavadas e secas antes da separação. Os resíduos orgânicos comprometem o material, que acaba rejeitado na cooperativa.

Outro cuidado na hora da separação do lixo é com guardanapos e papéis em geral que tenham tido contato com produto orgânico. Esses devem ir para o recipiente de lixo normal. Além disso, alguns tipos de materiais, embora sejam passíveis de reciclagem e reaproveitamento, não entram no processo de reciclagem em Aracaju. É o caso de vidro temperado, espelhos, tampo de vidro de móveis, isopor e pratos e talheres plásticos descartáveis. "A Care não possui equipamento adequado para realizar a reciclagem destes produtos. Em São Paulo eles poderiam ter este tratamento, mas o custo para prensá-los e enviá-los é inviável para a Cooperativa", esclarece Vaneide Santos.



A Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) auxilia a Cooperativa no recolhimento do lixo reciclável em Aracaju com o Programa de Coleta Seletiva de Resíduos Inorgânicos. No ano passado, a Emsurb recolheu quase três mil toneladas de resíduos inorgânicos, que deixaram de ser levadas ao Aterro Controlado Santa Maria. Materiais que levariam dezenas, centenas e até milhares de anos para se decompor. A média mensal é de 200 toneladas de material recolhido pela equipe de 17 trabalhadores - entre motoristas, fiscais e agentes - e transportado nos cinco caminhões coletores do Programa.

O itinerário da coleta seletiva abrange a cidade em diferentes dias e horários da coleta domiciliar e está disponível para consulta no site da Emsurb. A diferenciação de rota proporciona maior comodidade e segurança à população, que pode realizar o descarte próximo à residência com a certeza de que o material separado com tanta dedicação será realmente aproveitado e reciclado.

 A inserção dos bairros no programa não é feita por acaso. Após um estudo técnico da área, os moradores são visitados por agentes ambientais e recebem orientação de como realizar a separação dos materiais e da importância deste procedimento para o meio ambiente. Entre as localidades atendidas pelo programa estão os conjuntos Bela Vista, Santa Lúcia, Beira Mar I e II, Médici, J. K., Sol Nascente, os bairros Cirurgia, Getúlio Vargas, 13 de Julho, São José, Aeroporto, Jardins, Siqueira Campos, Grageru, Aruana e Inácio Barbosa; Loteamento Parque dos Coqueiros, Jardim Esperança e Beira Rio, além de órgãos públicos, universidades, hotéis e empresas privadas.

Fonte: www.aracaju.se.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário