terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Assistência às mulheres vítimas de violência doméstica

Após a promulgação da Lei Maria da Penha, as denúncias de violência contra a mulher são cada vez mais frequentes. A Lei as encoraja a deixarem de encarar o problema de forma passiva e elas passam a denunciar, cada vez mais, seus agressores. Em Aracaju não é diferente e as mulheres não estão desamparadas. Desde 2003 a Prefeitura de Aracaju mantém a casa abrigo Núbia Marques que oferece atendimento especializado às vítimas de violência doméstica.

Foto: Alejandro Zambrana

O abrigo tem a estrutura necessária para dar apoio psicossocial e proteção para essas mulheres que se encontram em uma situação vulnerável. A maioria delas passa pelo Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) São João de Deus, bairro Santo Antônio, onde uma equipe de assistentes sociais e psicólogos faz o primeiro acolhimento.

Além de acolher, a Prefeitura acompanha o processo judicial de cada uma para dar maior segurança às vítimas. Além disso, caso a mulher deseje se mudar para outra cidade ou Estado, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc) providencia a sua ida. O tempo médio de permanência da mulher na casa abrigo é de três meses, dependendo da situação e, caso haja filhos, eles podem ficar com elas no local.

Foto: Wellington Barreto

Para preservar a segurança das mulheres vítimas de agressão e de seus filhos, o endereço do abrigo é mantido sob absoluto sigilo.

Dados

Em 2010, 25 mulheres, 33 crianças, sete adolescentes e oito idosas foram acolhidos na casa abrigo Núbia Marques. O dado novo deste ano é o surgimento de idosas para serem acolhidas. Elas sofrem violência por parte dos filhos e fazem a denúncia na Delegacia de Grupos Vulneráveis. Após o atendimento psicossocial, algumas são inseridas nos asilos, quando não há outro parente que possa cuidar delas. Outras, a Semasc consegue localizar familiares em outros Estados que vem buscá-los e, a partir de então, são responsáveis pelos cuidados.

Outras informações e denúncias: 180 ou 3179-1355.

Nenhum comentário:

Postar um comentário