terça-feira, 5 de julho de 2011

Taxista de 80 anos dá exemplo de gentileza no trânsito

Por Raquel Passos

Preocupada com a parcela mais vulnerável da população no quesito mobilidade urbana, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) traz um exemplo a ser seguido. O comportamento cotidiano do taxista pernambucano José Gomes dos Santos, de 80 anos, é um modelo de educação e gentileza. Conhecido como ´Vovô´ no ponto da avenida Gonçalo Prado, no bairro São José, José Gomes não deixa seu humor ser abalado por nada no trânsito, tido por ele como sua segunda casa.


Fotos: Cleverton Ribeiro

O taxista cativa não somente os colegas de profissão, mas principalmente os passageiros. "Sempre coloco para tocar músicas de acordo com a idade que eu percebo do meu cliente. Tenho mais de 100 CDs no carro e fico feliz quando o pessoal que entra na corrida começa a cantar. Eu canto junto", afirma José Gomes.

"É preciso saber tratar os colegas e os clientes também. Agora, uma andorinha só não faz verão. Não basta que a gente dê conselho aos que estão chegando agora se eles não querem melhorar. Todos têm que perceber que é preciso rodar sempre regular, com a documentação em dia e respeitar o trânsito", completa.


Experiência

De acordo com a Coordenadoria Operacional de Táxi (Cotax) da SMTT, das 2.080 permissões deste tipo de transporte em Aracaju, a de José Gomes é a 462, liberada em 1978. "Cheguei em Aracaju em 1959. Depois de 17 anos aqui trabalhando em uma empresa, comecei então a ser chofer de praça. Me aposentei nesse tempo, e o táxi hoje me deixa muito feliz porque consigo fazer entrar dinheiro em casa para meu filho e eu", relata.

José Gomes lembra que além de trabalhar de domingo a domingo, das 8h às 17h, ele ainda cuida de seu filho especial. "Minha mulher faleceu e eu sempre que saio de casa deixo tudo pronto para ele. Quando volto, esquento a panela para fazer as comidas do dia seguinte", conta ´Vovô´.



Nenhum comentário:

Postar um comentário